Foto: Tumblr.

“Vamos nos permitir!”

desejos

Desejos. De todos os tipos, formas e cores; vindos de todas as pessoas, de todas as idades e personalidades, porém, sempre inéditos.

Gosto do clima de fim de ano por isso: a gente sabe que acabou um ano, que agora um outro novinho em folha está chegando e o frio na barriga se torna inevitável ao pensar nos 365 dias de possibilidades pela frente. Basta chegar dezembro que eu repenso as experiências, as novidades, as conquistas, as realizações, as decepções, as tristezas, os tropeços e aprendizados; tudo passa numa espécie de retrospectiva mental que visa um ano melhor a vir por aí. A cada 31 de dezembro novas resoluções são mentalizadas pro novo calendário que inicia… Decidi aqui esboçar um pouco das minhas new year resolutions – encorajo a todos fazerem o mesmo para que no próximo 31 de dezembro se deparem com essas palavras e elas remetam às lembranças, quiçá um tanto nostálgicas, dos seus desejos, da sua pessoa, da sua vida que, então, será tida como passado.

Em 2015, eu quero ser tomada pela vida, sem rédeas a me segurar, sem pesos a me reter. Correr desenfreadamente atrás de tudo aquilo que só posso sentir, aquilo que pulsa dentro do peito e faz querer transbordar todos os sentimentos inerentes à alma: a felicidade de sonhar. Sentir à flor da pele a vertigem que é estar viva, entregar-me ao viver, a tudo o que há de belo. Sonhar como nunca, sonhar como ninguém e, com sorte e determinação, sonhar como quem tem o sonho na palma da mão.

As incertezas e inexatidões tão abundantes ao destino fazem a jornada tão mais interessante, tão mais misteriosa, tão mais única. Que o acaso continue a trazer surpresas – ah!, como são boas as surpresas – e que as guarde todas, como que em uma caixinha, até o dia em que esteja eu pronta para com elas lidar. Que o acaso continue fazendo a sua valsinha descompassada sete por oito, porque não há nada tão bonito quanto um encontro de almas antigas – e velhas conhecidas – se encontrando de novos jeitos, nisso que costumeiramente chamamos de amor e que se ramifica de inúmeras maneiras.

Olho no espelho, dentro dos meus olhos e cito Lou Reed: “hey babe, take a walk on the wild side.” Encarando o meu próprio reflexo, reitero veementemente a necessidade em me jogar às chances e oportunidades que batem à nossa porta. Se já o fiz neste ano, que faça mais e melhor no que se aproxima – que façamos todos nós! São tantas músicas começam a soar mentalmente em meus pensamentos, contudo, embora clichê, o inevitável hino daqueles que têm amor sincero pela arte da vida: “não há tempo que volte, amor, vamos viver tudo o que há pra viver! Vamos nos permitir!”.

Quero aproveitar o dia – seize the day, carpe diem – sendo uma eterna andarilha desse mundão e uma desbravadora das possibilidades do destino; e, enfim, que venha um 31 de dezembro para renovar as energias para um dois mil e quinze que tem tudo para ser potencialmente maravilhoso. Que as metas sejam atingidas, as esperanças, renovadas e os sonhos… Que esses sejam sonhados.

 

Carla Mereles

Morena de cidade alemã, tem na escrita a sua maior liberdade. Além disso, tem inquietação por tudo o que parece fora do lugar – ou num mesmo lugar há muito tempo. Crê na força das palavras, no poder catalisador da música (em especial a quem a faz) e, principalmente, na força sinérgica das pessoas. Gosta de ouvir e contar histórias, sempre que pode está na/pega a/bota o pé na estrada e deseja um dia ter a sabedoria em bem enxergar o mundo.

Experimente também

Horizonte distante

Por Carla Mereles

No meio de tanta gente… Existe tanta gente chata, desinteressante, sem graça e superficial, mas tem neste mundo, ao mesmo […]

O Ciclo. Mudanças. Carretos.

Por Murilo Igarachi

A vida se transforma constantemente. E como! Mutante nata, permuta suas próprias variáveis, reembaralha as cartas do jogo e promulga […]

Sem comentários

  • Marilde 11/12/2014   Reply →

    Belíssimo texto. Vamos sonhar e colocar em prática o melhor que a vida nos reserva ! Feliz 2015

  • Diogenes Colorau Pires 11/12/2014   Reply →

    K

Degustando...