Fonte: Pinterest

Faz Um Desejo

desejos

O único ponto branco no céu, naquela hora, era um pássaro.

 

De penas tão belas quanto a pele dela, e tão gracioso quanto ela quando sorria.

Todo dia, fazia esse trajeto e chegava pontualmente às 23:57.

Era o tempo dele desenrolar o pequeno pergaminho e ler, naquela letra que tão bem conhecia:

“Meia Noite, faz um desejo”.

 

 

20

Toda noite, esse ritual se repetia.

Recebia aquele pássaro branco, e ela recebia um pássaro cinza. Os dois traziam nas garras um pequeno papel, que trazia a mesma mensagem.

Até que um dia, ela percebeu algo errado.

O pássaro dele, cinza, não chegou às 23:58, como normalmente. Mas sim, 00:02.

Ela, logo depois de ter pensado triste “Faz um desejo”, abriu aquele pedaço de papel temendo pelo pior.

Foi aí, que uma lágrima escorreu.

 

“Porquê? Eu já tenho você.”

 

Humberto Cardoso Filho

Humberto Cardoso Filho

Paulista radicado em SC, publicitário por formação e escritor por Hobby. Apareço, normalmente, 2 quartas por mês aqui no Uma Boa Dose compartilhando um pouco do meu mundo. Apaixonado por trabalho voluntário, hoje sou Organizador do TEDxBlumenau. Acredito que histórias tem, sim, poder transformador e busco usar as palavras com esse objetivo.
Humberto Cardoso Filho

Últimos posts por Humberto Cardoso Filho (exibir todos)

Experimente também

A Arte das Brigas Boas

Por João Vítor Krieger

Brigar pode ser uma fina arte. É preciso saber calcular com a mente de um enxadrista, escutar com a estabilidade emocional de um monge zen-budista e avançar na conversa com o jogo de cintura de um diplomata. Mas precisa de tudo isso? E se brigas pudessem ser boas também? É possível encará-las de maneira otimista?

Longe da Língua

Por João Vítor Krieger

por Paola Vasconcellos   “A gente vai ser ver de novo?” ela perguntou. Não sabia se a pergunta era feita […]

Degustando...