Quarta-feira nublada

Amor_Topo-Blog

É uma quarta-feira nublada, o céu está completamente coberto de grandes nuvens cinzas, impedindo o sol de brilhar. O vento balança as folhas das árvores lá fora e, suavemente, chega à minha janela, provocando um som calmo, como se fosse a respiração leve de alguém ao pé da orelha.

É quarta-feira. Está frio. E a única coisa que consigo me perguntar é: de onde vem tanto amor?

Talvez, como o vento de um dia de inverno, o amor seja somente um sussurro aos ouvidos. Talvez, como folhas lá fora, o amor seja a mais pequena flor no jardim. Ou, talvez, o amor seja uma quarta-feira nublada.

Acredito que o amor está, sim, nas pequenas coisas. E acredito nisso não só porque o sinto, ou porque o vejo em modestos atos no decorrer do meu dia, mas porque eu sei que tudo que compõe este mundo, de alpha à ômega, são pedaços de um único sentimento que move todos os outros: o amor.

Quando penso na quarta-feira, nas nuvens cinzas, no vento, na possibilidade de chuva, nas folhas, no sol que brilha mesmo por detrás da grandes e espessas nuvens, eu sei – eu sinto – a mais pura forma de amor, e juro que posso até escutar o universo dizendo: “é tudo por você.” E, então, até nos dias gelados, o calor me envolve em um abraço apertado numa ansiedade e ternura que só posso conceber como amor.

Ingrid Tanan

Ingrid Tanan

A Ingrid é a moça dos sorrisos com covinhas e das bochechas rosadas. Ela aprecia um bom livro e, mais ainda, uma longa conversa sobre ele. Apaixonada por design, música, Friends, marshmallow, Tim Burton, cadernetas, postais e post-its. Acredita que escrever é seu momento – é poder estar consigo e refletir sobre o finito e infinito. Você pode encontrá-la em qualquer livraria de São Paulo ou às sextas aqui no Uma Boa Dose.
Ingrid Tanan

Últimos posts por Ingrid Tanan (exibir todos)

Experimente também

des amis

Por Carla Mereles

Não acredito em destino, acredito em livre-arbítrio – em escolhas, vontade e persistência. Não acredito que as coisas simplesmente caiam de […]

O começo, o meio e o fim que a gente merece

Por João Vítor Krieger

Charlotte sempre gostou muito de citações. “Toda boa história tem que ter um começo, meio e fim”, ouço-a dizer, “embora […]

Degustando...