Quantas palavras nos olhos teus

Adoro quando você olha para mim, assim ansioso. Como eu aprecio teus gestos, teus carinhos, teus mimos. Penso que se pudesse falar, de fato, diria as coisas mais lindas que eu poderia ouvir.

Você me entende, me conhece.

Admiro o jeito como me consola e, também, como sabe exatamente do que preciso, antes mesmo que eu perceba. Você sabe tudo que estou passando só de sentir meu cheiro à distância. E, sendo assim, quando chego em casa, você corre em minha direção com só um objetivo em mente: me fazer feliz. A qualquer hora, em qualquer momento.

Quando estamos só, eu e você, o papo flui. Nossa conversa é sempre reta, direta, sem rodeios. Eu te olho de soslaio e você já levanta a cabeça, atento. Eu rio, você pula. Eu deito e você finge que dorme, só para ficar comigo.

Quantas conversas tivemos – eu sob meus pés e você sob suas quatro patas? Não sei ao certo, já faz tanto tempo.

Quantas palavras – quantos significados – nos olhos teus.

Perdi as contas das vezes que você foi o único capaz de entender minhas aflições. Das vezes que você ouvia minhas lamentações. De quando estava comigo. Ninguém compreende esse laço, esse vínculo.

Tudo bem, seremos nós dois contra o mundo.

Porque felicidade assim, eu só encontro em você.

Ingrid Tanan

Ingrid Tanan

A Ingrid é a moça dos sorrisos com covinhas e das bochechas rosadas. Ela aprecia um bom livro e, mais ainda, uma longa conversa sobre ele. Apaixonada por design, música, Friends, marshmallow, Tim Burton, cadernetas, postais e post-its. Acredita que escrever é seu momento – é poder estar consigo e refletir sobre o finito e infinito. Você pode encontrá-la em qualquer livraria de São Paulo ou às sextas aqui no Uma Boa Dose.
Ingrid Tanan

Últimos posts por Ingrid Tanan (exibir todos)

Experimente também

5 verdades que aprendi com meu pai

Por Carla Mereles

Pai é gente de outro mundo. O meu, por exemplo, me ajudou com as primeiras leituras, as primeiras palavras, os primeiros […]

Sorrisos, lágrimas e conversas à meia-noite

Por Ingrid Tanan

O relógio bate meia-noite. A tela do meu celular brilha indicando um nova chamada. Só consigo notar que alguém me […]

Degustando...