Fonte: Pinterest

Momentos Diários

– por Celso Alves

O cobrador da estação perto de casa é um tiozinho bonachão, gente boa e de riso fácil. Conta piadas pra si mesmo e, se alguém mais rir, tá valendo. Quase sempre está comendo um sanduíche ou tomando café, presente dos moradores e comerciantes que passam por perto. Ora tem o cabelo branco, ora castanho escuro, conforme a vaidade cobra a pintura dos fios. O vejo todas as manhãs, quando vou ao trabalho. Quando me vê, entra em sintonia com minha energia matinal e desata a conversar. Para mim, combinam muito, ele e a manhã.

 

O cobrador da estação perto do trabalho, por outro lado, é um senhor emburrado e soturno. Não responde ao boa noite e conta o troco sem me olhar, cabeça baixa e bigode escondendo o que imagino ser uma carranca. O vejo logo depois do anoitecer, ao entregar o dinheiro para pegar o ônibus. Se tenho uma nota muito alta, resmunga que não tem troco, mesmo que o tenha. Não me importo muito, já é noite e estou cansado, só quero passar pela roleta e encerrar o dia. Para mim, não destoam tanto, ele e a noite.

 

Cada um deles tem a sua hora e seu momento na minha rotina. Se minha manhã fosse azeda e a noite tão doce talvez me incomodassem. Mas assim, divididos em opostos que fazem sentido, convivo bem com um e com outro, seja falando à exaustão ou calado e embarcando o mais rápido que posso. O segredo é curtir as diferenças. Afinal, até o clique de cada catraca possui sua própria poesia.

 

Além do Uma Boa Dose, Celso Alves também escreve para o crônico.

Últimos posts por Uma Boa Dose (exibir todos)

Experimente também

Parabéns, você merece!

Por Bruna Estevanin

    Tenho 1,316 amigos no Facebook. Esse número grande não retrata minha vida social cotidiana, certamente. Ele é composto […]

Posso sentar na janela?

Por Murilo Igarachi

Sempre gostei de me sentar próximo à janela.  No ônibus, metrô, trabalho, escola, faculdade, a janela sempre foi a minha […]

Degustando...