Vamos ajustar o foco

Em determinados momentos da sua história, é comum que você se veja sem foco.

É como se a lente da vida estivesse desconfigurada e você não conseguisse ajustar a imagem reproduzida por ela, enxergando, portanto, um constante horizonte turvo a sua frente. Se você vive este momento agora, não se desespere, você não está sozinho.

E se você é da turminha do segundo quadrante do ½ século, já deve estar mais que acostumado a passar por isso, não é mesmo?

Independente das razões pelas quais viramos na esquina errada (o coração, sonhos e anseios que não se enquadram nas nossas vidas, mas que não queremos abrir mão, etc.) precisamos, assim que nos vemos fora da curva, planejar nossa volta para nosso caminho.
Acho que a primeira dica é não filosofar demais no que deu errado, mas em como fazer dar certo. Lembre-se: cada minuto seu é único e não pode ser desperdiçado com o que não vai te levar a lugar algum. Se postergamos o reencontro da nossa estrada, é capaz que num futuro não muito distante tenhamos aquela mesma sensação de quando tivemos muito tempo para fazer algo e deixamos para o último minuto. Evitar sofrimentos não só faz parte da maturidade, mas também da astúcia em viver bem consigo mesmo e com o mundo.

Saber seus objetivos (e se não souber, descobri-los) também é muito importante, pois funciona como um foco automático. O turvo fica claro quando lembramos o que queremos fazer. É muito produtivo fazer uma lista do que queremos alcançar em curto, médio e longo prazo e traçar metas para não nos perdermos no meio do caminho.

A vida, afinal, é como um grande muro.

Cada tijolinho deve ser cuidadosamente posicionado para que gostemos do resultado final. Não sermos atenciosas(os) nesta construção tem um grande potencial de nos frustrar no meio do percurso. Às vezes conseguiremos consertar, mesmo quando percebemos já bem tarde as imperfeições que queremos corrigir. Outras vezes, porém, não. Tenha sempre em mente: cada escolha é uma renúncia. Algumas nos afetam menos, outras mais, mas algo sempre terá que ficar para trás.

Se você, assim como eu, tem uma certa tendência, a desfocar por querer abraçar o mundo, sempre volte a si e se pergunte o que é mais importante no momento. Priorizar é uma forma inteligente de organizar suas conquistas de acordo com o quanto cada uma delas vai te preencher. Quando o caminho estiver escuro e você não enxergar muito bem o que está na sua frente, acenda o coração. Acredite: ele vai te mostrar o caminho.
****
Lá pelos 25 você já começa a sofrer as consequências do que escolheu e plantou num passado não tão distante assim. Geralmente nesta época, é bastante comum que muito do que os nossos pais nos alertaram no passado faça completo sentido agora.

Mas… Bem, Inês já está morta, certo?

Pare tudo e comece de novo se você não estiver gostando do que vê. Com tantas possibilidades, é muito mais fácil ficarmos à deriva que no passado. Ter muitos destinos é uma responsabilidade que nem todos conseguimos ter. Portanto, sejamos sempre coerentes com nossas limitações e procuremos administrá-las. Assim tudo fica mais fácil.

Até a próxima 😉

Murilo Igarachi

Murilo Igarachi

Paulistano com descendência na Lua. É daqueles que você tem cantando sozinho na fila do metrô ou balançando as pernas como uma criança num banco de praça qualquer. Questiona tudo o que vê e busca achar um sentido para tudo, em especial para a vida e seus misteriosos mecanismos. Amante nato de natureza, apesar de ser de exatas, ama dias ensolarados e chuvas de verão. A cada duas Quintas, aparece espalhar doses de vida, amor em suas mais variantes e você, muito você. :3
Murilo Igarachi

Últimos posts por Murilo Igarachi (exibir todos)

Experimente também

Cresça uma barba!

Por Uma Boa Dose

  – por Paulo Queiroz   No mês de novembro alguns homens – quem sabe até mulheres né, nunca se […]

As três coisas que aprendi como estudante de Direito (pt. 1)

Por João Vítor Krieger

Lembro cristalinamente das semanas que anteciparam minha inscrição no vestibular. É bem fácil de resumir e visualizar, até: ansiedade infinita, […]

Degustando...