João Vítor Krieger

João Vítor Krieger

Catarinense de sotaque meio vago e de 1992, gosto de cartões-postais, meios termos e de estar sempre com meu ukulele e uma gaita a tiracolo. Uso meu tempo tentando dar bom uso ao meu diploma de bacharel, voluntariando em alguma causa, e escrevendo histórias mais ou menos inventadas a cada duas terças-feiras aqui no Uma Boa Dose. Sonho em viver em um mundo onde as pessoas não achem o alemão um idioma tão feio assim, e onde Assunção esteja sempre a 15 minutos de casa.

)

O americano finlandês de Berlin

E então o Americano — lamentei muito não lembrar do nome dele depois — tirou um pincel atômico do bolso do casaco e pôs-se a escrever na mesinha quadrada que estava encostada na cadeira dele. Eu, com pouca vontade de dançar na sala ao lado, tinha me sentado um pouco antes em uma poltrona a […]

O campeonato mundial de seres humanos

Naquilo que o locutor do meu talk show de rádio favorito outro dia chamou de ‘o campeonato mundial de seres humanos’, eu e mais uns tantos ouvintes ganhamos uma cômica definição para a vida em termos gerais. Não tenho nem ideia de qual assunto que estavam debatendo no programa, mas o comentarista foi feliz no seu […]

Una invitación para entrar a tu vida (ou ‘o eclipse de olhos verdes’)

Todas as quintas-feiras, depois do almoço e antes de voltar ao escritório, nós vamos ao mesmo café onde o brigadeiro é servido de graça com o espresso, e onde o garçonzinho de gravata borboleta se confunde jocosamente com pronomes de tratamento. Não, é sério: uma parte da nossa diversão é receber o ‘bom dia, senhores’ dele quando entramos, para depois […]

Buenos Aires e 2014 em uma palavra de um Norueguês

Enquanto corríamos um lado para o outro, abotoando nossas roupas brancas com pressa e discutindo se conseguiríamos pegar um táxi ou se chegaríamos atrasados na festa de ano novo, a senhorinha argentina na janela exatamente diante da nossa regava calmamente os vasos de flores campestres à janela. Era fim de tarde do último dia do […]

Zadie Smith: 10 dicas de ouro da escritora inglesa e o valor intrínseco do barulho na internet

O mar de ruído da internet é um câncer. Qualquer blog que tenha que recorrer a listas e títulos obviamente chamativos ilustra que, entre o infinito de informações aparentemente inúteis, poucas coisas intrinsecamente interessante na primeira olhada. Digno da sua atenção, leitor, são ‘os 40 mapas que mudarão sua visão de mundo’, ‘13 inventores que […]

Dividir para Conquistar

A inércia é desalmada, e a longa permanência no mesmo lugar é enfermiça. Até arrisco dizer que o senso migratório de alguns pássaros nos é igualmente familiar. A permanência é também sintomática, se estiver certo um curta catarinense que assisti certa vez. “Pessoas de países quentes são quentes; as de países frios, frias; e aquelas que […]

12 pérolas e achados da famosa capa amarela

Sempre tivemos uma televisão na cozinha de casa e, por alguma razão, esse era um cenário que muito me agravada quando criança. Devia ser 1998 ou 1999 quando isto mais acontecia: meu pai sentava diante dessa televisão e inevitavelmente adormecia, mesmo com o som estrondoso do volume ligado nos níveis mais altos. Ao invés de despertá-lo, […]

Ambição, ego e frustração: pequenos grandes estigmas da Geração Y

Ambição infinita, ego inflado e poços de frustração: a geração nascida entre o final dos anos setenta e metade dos anos noventa sofre de bizarros males provocados pelo conflito entre sua vida profissional imaginada e a realidade. Uma parcela específica dela, aliás: os yuppies. Yuppie é o diminutivo de uma sigla em inglês — YUP — que significa […]

O segredo de todos os caras muito chatos

                    “Uma escrita tão sensível que leva à empatia instantânea” foi a definição de uma amiga minha sobre “O Apanhador no Campo de Centeio”, livro de J. D. Salinger.  Tem muito no livro a ser tirado — ainda que o protagonista, Holden Caulfield, seja mais referenciado […]

Página 5 de 6« Primeira...23456

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER