)

Doses

Servidas por quem sempre tem uma boa história pra dividir.

A força do silêncio

Nesse momento em que o mundo todo faz barulho, busco resgatar o silêncio. Os sons da massa em busca de razão e expressão ecoam em discursos, músicas, textos, gritos, whatsapps, facebook, twitter, informações, aula, vídeos… eu me calo. Ouço. Busco há anos a serenidade do silêncio, mas a força da ansiedade se recusa a me permitir isso. Meu ego […]

Daminha de Vermelho

Enquanto via o tracinho chato do editor de texto piscar na tela, escrevi e reescrevi um começo de algo mais de mil vezes. O problema não eram ideias escassas, falta de criatividade ou não saber o que falar. Isso tinha de sobra! A matemática dava zero na hora de focar em algo. Não conseguia de […]

São Domingos

– por Daniely Duarte Não me lembro de entrar. Perdida no ar do som dos pedidos de muitas Marias a uma Senhora, estive em mim quando reparei as cicatrizes das paredes. Em busca de contemplar o encontro nas costas de quem procura, pedi para me sentar ao fundo. A mão esquerda me puxou, enquanto a […]

Nostalgia do futuro

Há dias em que acordo com uma nostalgia diferente. Nostalgia de tudo que ainda posso viver. É até engraçado porque geralmente a nostalgia é um sentimento associado ao passado e às lembranças boas que tivemos em algum período de nossas vidas. Então, me pergunto: como é possível alguém ter nostalgia do futuro? Como alguém pode […]

A um passo

Quando você estiver a um passo de deixar tudo para trás, feche os olhos um pouquinho. Lembre-se de todos aqueles momentos bons que viveu até então. E dos ruins, também. Não ignore nada. Deixe tudo o que não deve permanecer para trás. É que não dá para ter dias novos se os costumes ainda são […]

Negrito

As mangas e carambolas rotas são ornamentos comuns dos passeios e veredas pelas ruas de Assunção. Entre as rachaduras da calçada, brotam flores e se decompõem os frutos das tantas árvores que se espalham por qualquer lado da capital paraguaia. Poderia se dizer até que o Paraguai, à primeira vista, serve de metáfora para o […]

Senhora Vânia,

– por Daniely Duarte   Nós não somos insubstituíveis. Enquanto estamos aqui, a gravidade se torna reversa. Quanto mais graves os fatos, maior é o clamor por levantar. Levantemos, então! Está na hora de ir. Minhas malas estão prontas e eu não vou te esperar. Nossos caminhos nunca foram os mesmos. Apenas veio a calhar […]

1997

Lá em casa, presente de Natal é coisa séria. Talvez não seja intencional, mas os melhores sempre chegaram via Papai Noel e, mais tarde, quando as crenças infantis já não me bastavam, pelo correio. Foi no Natal que ganhei minha primeira bicicleta sem rodinhas, a Barbie Ginasta e a coleção inteira dos livros “Desventuras em […]

Obrigada, Bowie

Faz um tempo que venho pensando nesse texto. Há um tempo ele me assombrava os pensamentos e, mesmo assim, só hoje tive a coragem escrevê-lo em frente ao meu computador, baixando as músicas do no vo álbum do Bowie no Spotify. Eu me deliciei com aquelas obras de corpo sombrio, com o caráter que só ele conseguia […]

A menininha e meus sonhos

Era uma típica tarde de quando tinha lá meus 11 ou 12 anos: depois das aulas da escola, passava o resto do dia brincando na rua. Naquela ocasião, estava com dois amiguinhos na praça da pirâmide e, numa dessas brincadeiras dessa fase de fim-de-infância, corria ansioso atrás de um deles. Parei, sem saber por que, […]

Vem que eu te conto

– por Daniely Duarte Às vezes, pergunto-me se é bom ser assim. Pergunto-me se é bom não ser posse de um lugar ou não ser dono de algum. Não consigo responder. Apenas me lembro de que o dono do mundo não tem o mundo. Tem nada além do sentimento de participar de algo que observa. […]

13 Andares

Depois de quase 3 anos por aqui, publicando nas terças-feiras textos quinzenais – embora nem sempre tão quinzenais –, chego a 50 posts. Essa é uma breve história sobre o porquê de escrever e o amor por boas doses. *** “Vem cá, vou te mostrar um lugar diferente”, me diz Gabi, cruzando a passos largos a Plaza […]

Poema do (des)apego

Vá. Não me abandones. Não te quero mais. És o que eu preciso. Saia por essa porta e nunca mais volte. Chegue mais perto, Eu rejeito-o. Acolha-me. Não vejo razão para continuar. Não permita que eu parta. Esqueça-me. Jamais se afaste de mim. És tudo que não preciso. És tudo que quero. Me deixe. Fique.

Dona Carmen

Carmen Lúcia morava numa chácara – com mato, muitos animais, todo aquele cenário bucólico. Estava acostumada a ir para a escola obrigatoriamente com meia-calça e saia de pregas à moda da época, mesmo com temperaturas beirando 0ºC. Sempre foi muito dedicada: ajudava seus pais, lavava roupas, cozinhava, arrumava a casa e cuidava dos irmãos. Mas […]

Um feliz dia para as mulheres

“Dar tratamento isonômico (todos iguais perante à lei) às partes significa tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na exata medida de suas desigualdades”. (NERY JUNIOR) Achei interessante começar esse texto com essa frase atribuída ao Dr. Nelson Nery, estudioso do direito no Brasil, na qual ele faz uma avaliação sobre a igualdade à […]

Página 3 de 2112345...1020...Última »